Informação sobre esquizofrenia, causas, sintomas e tratamento da esquizofrenia, identificando o diagnóstico de esquizofrenia paranóide, desorganizada, catatônica, indiferenciada e residual, com dicas para uma melhor qualidade de vida.


Esquizofrenia como uma doença

A esquizofrenia é encontrada em todo o mundo. A gravidade dos sintomas e o padrão de longa duração da esquizofrenia crónica, muitas vezes provoca um elevado grau de incapacidade. Medicamentos e outros tratamentos para a esquizofrenia, quando usados regularmente e como prescritos, podem ajudar a reduzir e controlar os sintomas angustiantes da doença. No entanto, algumas pessoas não são muito ajudadas com os tratamentos disponíveis, ou podem prematuramente interromper o tratamento por causa dos efeitos colaterais desagradáveis, ou mesmo por outras razões. Mesmo quando o tratamento é eficaz, as consequências persistentes da doença, como oportunidades perdidas, estigma, sintomas residuais e efeitos colaterais dos medicamentos podem ser muito perturbadoras.

Os primeiros sinais da esquizofrenia aparecem frequentemente como confusão, ou até mesmo choque, com mudanças no comportamento. Lidar com os sintomas da esquizofrenia pode ser especialmente difícil para os membros da família que se lembram de quanto vivaz uma pessoa era antes de ficar doente. O aparecimento repentino de sintomas psicóticos graves é referido como uma fase "aguda" de esquizofrenia. "Psicose", uma condição comum na esquizofrenia, é um estado de deficiência mental marcada por alucinações, que são distúrbios da percepção sensorial, e/ou delírios, que são crenças pessoais falsas ainda fortemente arraigadas que resultam de uma incapacidade de separar o real do irreal. Os sintomas menos óbvios, como isolamento social ou, ou o discurso sem senso, pensamento ou comportamento desviantes, podem preceder, ou ser vistos em conjunto com sintomas psicóticos.

Algumas pessoas têm somente um episódio psicótico; outras têm muitos episódios durante a vida inteira, mas mesmo estas podem levar uma vida relativamente normal durante os períodos intermediários. No entanto, o indivíduo com esquizofrenia "crónica", ou com um padrão contínuo ou periódico da doença, muitas vezes não recupera completamente o funcionamento normal, e tipicamente requer tratamento a longo prazo, incluindo geralmente medicação, para controlar os sintomas.

Índice dos artigos relativos a Esquizofrenia
POSTAGENS POPULARES
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL