Informação sobre esquizofrenia, causas, sintomas e tratamento da esquizofrenia, identificando o diagnóstico de esquizofrenia paranóide, desorganizada, catatônica, indiferenciada e residual, com dicas para uma melhor qualidade de vida.


sábado, 9 de janeiro de 2016

Sinais e Sintomas da esquizofrenia

A esquizofrenia é uma doença grave que afeta a forma como uma pessoa pensa, sente e age. Pessoas com esquizofrenia podem ter dificuldade em distinguir entre o que é real e o que é imaginário, e podem não responder ou ter dificuldade em expressar emoções normais em situações sociais.

Contrariamente à percepção pública, a esquizofrenia não significa uma personalidade dividida ou uma personalidade múltipla. A grande maioria das pessoas que apresentam esquizofrenia não são violentas e não representam um perigo para os outros. A esquizofrenia não é causada por experiências de infância, pais pobres ou a falta de força de vontade, e os sintomas podem ser diferente de pessoa para pessoa.
Os sinais e sintomas característicos da esquizofrenia podem ser agrupados em positivos e negativos. Os sintomas positivos são alucinações (mais freqüentemente as auditivas), delírios (persecutórios, de grandeza, de ciúmes, somáticos, místicos, fantásticos), perturbações da forma e do curso do pensamento (como incoerência, tangencialidade, desagregação e falta de lógica), comportamento desorganizado, bizarro, agitação psicomotora e mesmo negligência dos cuidados pessoais. Os sintomas negativos são pobreza do conteúdo do pensamento e da fala (alogia), embotamento ou rigidez afetiva, sensação de não conseguir sentir prazer ou emoções, isolacionismo, ausência ou diminuição de iniciativa (avoliação), de vontade, falta de persistência em atividades laborais ou escolares e déficit de atenção. Sintomas negativos são de difícil avaliação porque ocorrem em uma linha contínua com a normalidade, são inespecíficos e podem decorrer de uma variedade de outros fatores (por exemplo, efeitos colaterais de medicamentos, transtorno do humor, subestimação ambiental ou desmoralização).

Diagnóstico de esquizofrenia

O diagnóstico de esquizofrenia é feito baseado em um misto de sinais e sintomas característicos (dois ou mais dos seguintes: delírios, alucinações, discurso desorganizado, comportamento amplamente desorganizado ou catatônico e sintomas negativos) que estiverem presentes por um período de tempo significativo durante 1 mês (ou por um tempo menor, se tratados com sucesso), com alguns sinais do transtorno persistindo por pelo menos 6 meses. Esses sinais e sintomas estão associados com acentuada disfunção social ou ocupacional. A perturbação não é melhor explicada por um Transtorno Esquizoafetivo ou Transtorno do Humor com Características Psicóticas nem se deve aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância ou de uma condição médica geral.
É comum que pacientes com esquizofrenia apresentem afeto inadequado, perda de interesse ou prazer, humor disfórico na forma de depressão, ansiedade ou raiva, perturbações no padrão de sono, falta de interesse por alimentar-se e dificuldade de concentração.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL